HIDROQUINONA – Porque não uso e nem recomendo!

Já devem ter ouvido muito falar em Hidroquinona, não é mesmo?
Para quem não conhece, trata-se de um ativo muito usado para clareamento de manchas na pele, os famosos melasmas. Também conhecidos como mancha “asa de borboleta”.
Mas vocês sabem porque não uso, não usaria nem recomendo?
Vamos falar um pouquinho de história… a Hidroquinona foi descoberta na época da 2a. Guerra Mundial, pois clareava pêlos de gato preto. No período da sua descoberta foi um boom e muito utilizado para clarear manchas. Agora você cara, leitora, imagine um substância que clareia um pêlo preto de um animal o que não pode fazer com a sua pele?
Extremismos à parte, vamos ao que interessa. Se clareia a  pele? Realmente  clareia, mas a questão é que a Hidroquinona provoca a morte dos melanócitos (células que produzem melanina). Daí a pessoa passa a ter outra disfunção estética na pele… manchas brancas. E o pior? Não repigmenta, a não ser por outros métodos (tatuagem, pigmentação artificial definitiva…).

Diversos países da Europa, França por exemplo, já baniram o uso da Hidroquinona, por alegarem risco de câncer.
Mas por que alguns dermatologistas brasileiros ainda receitam a Hidroquinona, e o pior, a porcentagens altíssimas?
Justamente, porque a Hidroquinona até hoje é um ativo consagrado para alguns profissionais no tratamento de manchas. Mas os profissionais que se especializam e frequentam os melhores congressos e simpósios da área de Estética e Cosmetologia já sabem da existência de diversos outros ativos e ácidos com efeito tão bom quanto e que não oferece tais riscos à saúde e aparência da sua pele.
Alguns exemplos? Ácido azeláico, mandélico, ácidos vulcânicos etc.

Para que se arriscar tendo tanta opção boa e segura no mercado? Sem contar da famosa Vitamina C, que tem ação anti-oxidante e serve como preventivo.

HIDROQUINONA NÃO!
Abraços,
Andréa Andrade
 (61) 3039-4849

Andréa Andrade – Beleza e Bem-Estar
SCLN 110 Bloco A subloja 61 – Asa Norte